terça-feira, 13 de novembro de 2007

Vem sem receio: eu te recebo


Como um dom dos deuses do deserto Que decretaram minha trégua , e permitiram Que o mel de teus olhos me invadisse. Quero que o meu amor te faça livre, Que meus dedos não te prendam Mas contornem teu raro perfil Como lábios tocam um anel sagrado. Quero que o meu amor te seja enfeite E conforto, porto de partida para a fundação Do teu reino, em que a sombra Seja abrigo e ilha. Quero que o meu amor te seja leve Como se dançasse numa praia uma menina..."
(Lia Luft)

Nenhum comentário: